Notícias

Os seis estados da aposentadoria ativa

| Notícias

happy-senior-couple-enjoying-a-breathtaking-view_53876-63334

* por Armelino Girardi

A aposentadoria pode ser a mais bela estação da vida, pois é o coroamento das etapas anteriores. Ela apresenta a colheita de tudo o que se aprendeu e viveu; de tudo o que se sofreu e superou. Portanto, não é uma etapa da vida a ser temida e muito menos uma fase a ser desprezada. É um período de rupturas, de descobertas e de valorização da vida fértil que existe em cada um.

Para isso, o aposentado precisa conscientizar-se de que a vida não termina com a aposentadoria, sendo necessário adotar atitudes inovadoras e criativas, de forma a encarar esse período como uma rica e promissora travessia de uma etapa para outra da vida, e não como o fim do caminho.

É comum ser interpelado, ao final de cursos ou palestras, sobre o que considero como etapas de uma aposentadoria ativa. Após refletir muito a respeito e com base na minha própria experiência, considero que são seis os principais estados para uma aposentadoria ativa:

1º- Estado do Sonho – É preciso buscar nos sonhos a possibilidade de inventar seu futuro. Se você não sonhar, vai acabar realizando sonhos dos outros. Se você não tiver um projeto de vida, fatalmente cumprirá projetos de outros.

2º- Estado de Ruptura – Para fazer a transição para um mundo mais humano, há que haver uma ruptura com o mundo e o sistema que aí está e que fez parte intrínseca dos seus interesses durante a vida profissional. É preciso romper com o antigo para dar espaço ao novo. Despir-se de paradigmas, preconceitos, dogmas, valores, hábitos.

3º- Estado de Redescoberta – A prática nos mostra que as pessoas, em geral, não se conhecem como deveriam. Tanto a educação formal como os treinamentos empresariais se atêm ao conhecimento profissional, relegando o autoconhecimento a um segundo plano. Ao se aposentar é preciso descobrir e despertar o seu verdadeiro potencial, com ênfase nas habilidades interpessoais, fundamentais na nova fase de vida, acordar a ‘águia’ que existe dentro de cada um, ousar novos voos e inventar novos caminhos.

4º – Estado da Reaprendizagem – “O homem começa a morrer na idade em que perde o entusiasmo pela vida e desiste de aprender “(Balzac). A aprendizagem na fase da aposentadoria deve ser algo bem abrangente, pois há muito que se aprender. O foco deve ser a redescoberta de seu mundo interior, seus sonhos, talentos e novas ocupações. Portanto, assim como você se preparou para o trabalho, precisa, ao se aposentar, preparar-se para novos hábitos de vida.

5º- Estado da ação – Este é o estado do empreendedorismo, da busca por novas atividades. Ocupar-se é a palavra chave. Os desafios a que nos propomos devem conter exigências que pareçam ir além de nossas forças. Só dessa forma poderemos descobrir nosso poder e conhecer nossas energias escondidas. A longevidade é diretamente proporcional à sociabilidade e ao sentido de utilidade.

6º- Estado da Ressignificação – É o estado da transição do mundo corporativo e materialista para um universo personalizado, mais humano e solidário. Ninguém pode dar-se por realizado se passar pelo mundo sem deixar suas marcas. Além de dar um ressignificado à vida, é preciso aceitar os limites e perdas que a idade vai impondo. Isso faz toda a diferença.

Fonte: Desaposentado

IMG_6576

Diretores e conselheiros tomam posse

No dia 28 de dezembro, às 17h, no auditório da Fusesc tomaram posse os novos conselheiros e diretores da Entidade. Vânio Boing (Superintendente), eleito pelos participantes e assistidos, e Marcos Anderson Treitinger (Diretor Financeiro e Administrativo), indicado pela patrocinadora Banco do Brasil, assumiram os mandatos para dirigir a instituição...

+ LEIA MAIS