Tire suas dúvidas

A concessão de empréstimos pela Fundação Codesc de Seguridade Social – FUSESC tem por finalidade prestar assistência financeira aos seus participantes nos termos da legislação das entidades fechadas de previdência privada.

Para a concessão do crédito é necessário preencher o termo de adesão, assinar, reconhecer firma em cartório e encaminhar ao setor de empréstimos da Fundação. O termo de adesão deve ser assinado por duas testemunhas sem a necessidade de reconhecimento de firma em cartório.

O limite de empréstimo é fixado pela Diretoria Executiva e divulgado aos participantes da Fusesc, observada sua capacidade de pagamento, margem consignável e reserva de poupança. O teto máximo é de R$ 130.000,00 (Cento e trinta mil reais).

Sim. Cada participante pode contrair tantos quantos empréstimos pretender, desde que possua margem consignável e reserva de poupança disponível.

A margem consignável é o valor máximo de comprometimento dos rendimentos dos participantes com as parcelas de pagamento do empréstimo, e é calculada da seguinte forma:

  • Para os participantes ativos, a margem consignável corresponde ao valor fornecido pela patrocinadora.
  • Aos participantes em auxílio doença a margem consignável corresponde ao valor fornecido pela patrocinadora.
  • Para os participantes assistidos, a margem consignável equivale a 30% aplicado sobre os benefícios pagos pela Fusesc, deduzidas as verbas legais, tais como IR, Pensão alimentícia e contribuição para o plano de saúde.
  • Os participantes em autopatrocínio a margem consignável equivale a 0,225% da reserva total (contribuição do Participante e da Patrocinadora).

Para os participantes dos Planos Multifuturos I e II, a reserva de poupança corresponde a 70% (setenta por cento) de todas as contribuições e jóias vertidas pelo participante à FUSESC, devidamente atualizadas.
O valor da concessão do empréstimo, respeitado o teto estabelecido pela Diretoria Executiva, não poderá ser superior a reserva de poupança individual.

Sobre o Empréstimo Pessoal são aplicados os seguintes encargos:

  • JURO – 0,75% a.m;
  • TAXA DE QUITAÇÃO POR MORTE/SEGURO PRESTAMISTA – 0,1152% a.m.;
  • FUNDO LIQUIDEZ/INADIMPLÊNCIA – 0,00% a.m.;
  • TAXA DE ADMINISTRAÇÃO – 0,05%a.m.;
  • ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA – INPC (IBGE).

Sim. Trata-se de um imposto determinado pelo Governo Federal que incide sobre qualquer operação financeira, variando de acordo com o número de parcelas do empréstimo, atualmente o percentual de IOF é de 0,0082% ao dia, mais 0,38% fixo aplicado sobre o valor solicitado (Lei Federal).

O empréstimo pode ser amortizado no prazo de 02 a 96 meses.

As prestações são enviadas para desconto em folha de pagamento aos ativos, aposentados e pensionistas. Para os autopatrocinados a prestação é cobrada via débito em conta corrente todo dia 25 do mês.

O pagamento deverá ser feito no banco mediante boleto bancário emitido pela Fundação.

Sim. O primeiro empréstimo só poderá ser contraído após 1 (um) ano de inscrição no plano de benefícios.

Sim. Desde que haja margem consignável disponível, reserva de poupança e não tenha atingido o limite máximo a que tem direito.

Sim. Os participantes que quiserem quitar, antecipar ou amortizar parte do saldo devedor poderão manifestar interesse diretamente ao setor de empréstimo da Fundação. Pode ser em quantidade de parcelas ou parte do saldo devedor da operação.

Não. O participante poderá renovar seu empréstimo a qualquer momento, para tanto deverá fazer as contas e ver se compensa, já que o novo empréstimo incide IOF a razão de 3,00% ao ano.

Sim. Desde que o pedido seja efetuado com 48 horas de antecedência à liberação.

Sim. Todas as operações contratadas estão amparadas por seguro contra óbito. Em caso de morte do tomador, por qualquer causa, o saldo devedor é pago pela seguradora, sem ônus para a família do tomador.

Deverá enviar a Fundação, setor de benefícios, a seguinte documentação do falecido: cópia autenticada da certidão de óbito, cópia autenticada do RG e CPF e comprovante de residência.

No momento da rescisão do contrato de trabalho do participante, a eventual dívida considerar-se-á vencida, estando autorizada a Fusesc a proceder a sua retenção nos créditos trabalhistas ou no resgate das contribuições pessoais (reserva de poupança).

O participante ficará obrigado a pagar, além do principal, atualização monetária segundo os índices pactuados, juros de mora de 1% ao mês, multa contratual irredutível de 2%, custas processuais e honorários advocatícios de 20% sobre a totalidade de seu débito.

Serão exigidos encargos pro rata, que serão descontados do valor a creditar, em conta corrente, no momento da liberação.

top-view-of-businessmen-analyzing-bar-charts-and-a-laptop_1098-344

MAIO/2017 – Estimativa de rentabilidades dos Planos de Benefícios

  PLANO DE BENEFÍCIOS Intervalo Aproximado Estimado 12 MESES  24 MESES Benefícios I de 0,40% à 0,50%      9,21%    26,72% Multifuturo I de 0,45% à 0,55%      9,97%    27,64% Multifuturo II de 0,45% à 0,55%    10,44%    27,96% A rentabilidade do mês foi influenciada principalmente: (i)...

+ LEIA MAIS